Friday, May 26, 2006

 

Turismo "Made in Mozambique"

De olhos postos no mundial de 2010


Por Teodósio Bule


Nos últimos dias, foram levantadas várias questões pertinentes sobre o futuro do desporto e do turismo nacionais, por causa da derrota nada surpreendente de Moçambique na corrida à organização do Campeonato Africano das Nações (CAN), a ter lugar em 2010, ano em que a África do Sul receberá a fase final do campeonato mundial de futebol.

O Governo já reiterou o seu apoio à revitalização do desporto nacional, pela voz do Presidente da República, para quem a impossibilidade de organizarmos a edição de 2010 da prova máxima do futebol africano, não é o fim da caminhada. Palavras sábias, que devem ser ouvidas com inteligência, para um maior aproveitamento das oportunidades que o ano de 2010 traz para a região austral de África.

O ambiente internacional é altamente competitivo, os erros não passam despercebidos, e podem até comprometer o nosso estatuto de seres racionais. A falta de capacidade organizativa da nossa comissão de candidatura para o CAN/2010, suponho, bem como a gritante falta de sensibilidade política, cultural, e até racial, ao fazer operação de charme com duas figuras que estiveram na primeira linha da organização do recente Euro2004, na qualidade de cidadãos de Portugal (Europa!!!!), levou-nos naturalmente à exclusão, logo na primeira fase.

2010 exige de nós alto sentido de oportunidade, e devemos estar cientes de que muitos estrangeiros não desperdiçarão as oportunidades aqui no nosso território, mas depois irão repatriar os lucros, como é seu direito. Lucros sobretudo resultantes das actividades no sector do turismo, pois é certo que se irá registar no país um grande fluxo de turistas, nos próximos anos.

Só poderemos tirar maior proveito de tal fluxo de turistas, se eliminarmos o "borlismo" (free riding) que infelizmente nos caracteriza. Uma economia que apenas se contente com as iniciativas dos operadores estrangeiros na promoção de pacotes turísticos que envolvam o seu espaço territorial, transforma-se numa simples passagem de dinheiro dos países ricos consumidores de produtos turísticos, para outros países realmente produtores de bens e serviços turísticos.

É, por isso, urgente uma estratégia nacional vencedora. Uma estratégia que releve o aspecto turístico do desporto, e resulte numa maior exposição externa do país. Para tal, a marca made in Mozambique deve ser mais arrojada na utilização de capacidades humanas nacionais, e deve reflectir aquilo que o resto do mundo espera de um país africano, feito por africanos, não descurando, no entanto, parcerias inteligentes com aqueles que possam acrescentar maior valor.


Acima de tudo, Turismo made in Mozambique deverá ser sinónimo de Conceito made in Mozambique, num reconhecimento claro dos nossos pontos fortes, para contornar as nossas desvantagens em termos materiais. No mercado turístico, em particular, é contraproducente comprar ideias de cidadãos de outros países, e muito menos ideias de cidadãos oriundos de países altamente desenvolvidos neste sector. Está em jogo a concorrência, o conhecimento da nossa realidade, mas sobretudo o conhecimento do nosso projecto comum enquanto Nação.


Artigo inicialmente publicado na minha coluna mensal RENASCENÇA, do caderno de Economia&Negócios, do jornal "notícias" (Moçambique), edição de 26 de Maio de 2006.

Comments:
Recebi, por e-mail, o comentário abaixo, muito simpático, e que me foi permitido publicar neste espaço. O meu muito obrigado. TB

Caro Dr Teodosio Bule,

Li o seu artigo do noticias de hoje e visitei a sua pagina da internet.

É tao bom saber que temos Moçambicanos com a visao e o pensamento reflectidos no seu artigo. Precisamos efectivamente de arregaçar as mangas e trabalhar arduamente para capitalizar as oportunidades do 2010. Oxalá quem está por dentro das comissoes de coordenacao com o visinho Africa do Sul, consiga atempadamente envolver a parte Moçambicana nesses preparativos e que o governo Moçambicana veja no sector privado Moçambicano um parceiro em quem apostar e confiar as oportunidades para que possa ser feito o investimento necessário na conversao desta oportunidade em mais valias reais para o nosso povo e para o País.

João das Neves
Maputo
 
Bom dia....
sou uma jovem e a pouco comecei a trabalhar com turismo....
queria pedir uma ajuda como dicas de como criar um pacote turístico.
Jullya khosa
Maputo
 
Post a Comment

Links to this post:

Create a Link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?