Friday, August 18, 2006

 

ISTO, TAMBÉM É MOÇAMBIQUE!

POR Augusto Macedo Pinto*


Nada daquilo que irei abordar de uma forma simples sobre Moçambique é algo que seja desconhecido, por quem quer que seja, por modéstia os moçambicanos, não fazem catapultar tais destaques para o mundo, não o fazem com vaidade, mas orgulham-se de tais factos!

Moçambique tem a melhor praia de África e a quarta melhor do mundo, Guludo em Cabo Delgado. Tem o único e melhor Parque Natural do mundo no que respeita à sua biodiversidade, o Parque Nacional da Gorongoza em Sofala. Tem das maiores reservas de areias pesadas do mundo, no Chibuto em Gaza e em Moma, Nampula. Tem no seu Canal dos melhores e mais apreciados camarões tigres do mundo. Tem o porto de Nacala de águas profundas, condições únicas no mundo que virão a permitir constituir a Plataforma Logística Internacional de Nacala.

Tem o café racemosa, espécie originária moçambicana de referência mundial, que Salazar por decisão política, o café era em Angola, o chá em Moçambique, pois aí se encontravam sedeados os interesses económicos coloniais que decretaram o café ficar no “tinteiro”, quanto a este país. Esta história conhece-a bem o Engenheiro Aníbal Bettencourt, um dos seus perseguidos protagonistas, tendo sido mandado pura e simplesmente regressar à dita metrópole, onde ficou com uma depressão.

Tem a barragem de Cahora Bassa, no rio Zambeze em Tete. As minas de carvão de Moatize em Tete. Tem a Jatropha, planta que prolifera de norte a sul do país, e, vai ao encontro das novas alternativas de energia.

A praia de Guludo em Cabo Delgado foi recentemente anunciada em dezenas de revistas da especialidade do turismo internacional, como a melhor de África e a quarta, das treze melhores do mundo.
O Parque Nacional da Gorongoza, exemplo único no mundo, na dimensão e na qualidade da sua biodiversidade situa-se como já se referiu, em Sofala, estando em curso uma acção de repovoamento da sua fauna mais carismática: o búfalo e o elefante.

Tem Moçambique condições de criar uma Plataforma Logística Internacional a partir do porto Nacala, em Nampula, com infraestruturas únicas em África a partir do qual e de forma integrada, bastando para isso associar os meios de transporte de mercadorias: aéreo, marítimo, rodoviário e ferroviário. Isto é, ser um centro de distribuição de mercadorias para África e resto Mundo ( Moçambique, como é sabido, faz a nível do continente, fronteira com seis países – Tanzânia, Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, Suazilândia e África do Sul). Não podendo esquecer, a já tradicional experiência de trânsito de mercadorias de Moçambique para países com que faz fronteira.

Nacala goza ainda de posição estratégica e acessibilidade ímpares, ao dispor deste potencial, para oferta de uma gama diversificada de serviços no âmbito do transporte internacional de mercadorias e actividades complementares, permitindo ao potencial investidor perspectivar o presente e o futuro neste domínio.

O café racemosa, espécie originária de Moçambique, citado e estudado a nível mundial pelos melhores especialistas na matéria desde portugueses, brasileiros, franceses e ingleses, entre outros, permitiu a resistência ao bicho mineiro, vindo a ser incorporado em culturas do café arábica.

O café racemosa possui, segundo os mesmos especialistas, diversas características agronómicas favoráveis, como a resistência a doenças e a algumas pragas como o ácaro vermelho e o caruncho das tulhas. É ainda este café resistente à seca, podendo explorar camadas bastante profundas do solo em condições de stress hídrico.

Consideram ainda as referidas autoridades na matéria que o café racemosa apresenta maturação precoce dos frutos. O período de maturação completa do café arábica é de 180 a 250 dias, enquanto que o café racemosa a maturação varia de 60 a 110 dias. O teor de cafeína dos grãos de café racemosa, é mais baixo, 0,59% que o de café arábica que anda em torno de 1,2%.

Esse conjunto de características favoráveis, fazem do café racemosa uma espécie promissora e de bastante interesse para o desenvolvimento de novas culturas de café arábica. É sabido que o mercado mundial de consumo de café está em crescendo.

Moçambique é , permitam-me, acima de tudo exemplo de um país de tolerância, paz e sã convivência religiosa, até ao nível da família mais próxima, há diversidade religiosa e respeito pela mesma.


*Augusto Macedo Pinto, Advogado, macedopinto@teledata.mz
Artigo de opinião publicado em O VERTICAL, edição de 16/08/2006

Comments:
caro Teodosio Bule, acabei de ler o post ISTO, TAMBÉM É MOÇAMBIQUE! POR Augusto Macedo Pinto, de 18 de agosto de 2006.
devo dizer-lhe que fiquei particularmente interessado na especie de cafe que nele é descrito, o cafe racemosa.
gostaria de pedir-lhe mais informaçoes, se a tal se quiser dispor, sobre esta especie de café, assim como dados sobre a sua plantaçao em moçambique. agradeço desde ja a sua resposta.

cumprimentos.

joao pedro oliveira.
 
Post a Comment

Links to this post:

Create a Link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?